Programação

DATA MAGNA DO ESTADO DE PERNAMBUCO

Março

(Revolução de 1817)

06 DE MARÇO foi instituída como “A DATA MAGNA DO ESTADO DE PERNAMBUCO”, por ter sido um Marco Histórico de Libertação de Portugal, (representando o Sentido de Liberdade) do povo pernambucano contra a opressão do domínio português( D. João VI).

Foi um ato que deixou Pernambuco Independente de Portugal. Foi o único Estado Brasileiro a ficar livre do domínio português antes da Independência do Brasil, acontecida em 07 de Setembro de 1822.



A História :

Em 16 de Fevereiro 1800, o antigo Colégio dos Jesuítas, então entregue ao Bispo Diocesano Dom José Joaquim da Cunha de Azeredo Coutinho, foi transformado em Seminário, cuja finalidade era dar instruções à mocidade em todos os principais ramos da Literatura, própria não só, de um eclesiástico, mas também, de um grande cidadão que se propõe a servir ao Estado.

Com a chegada do Século XIX, as idéias liberais republicanas, divulgadas pelos teóricos da Revolução Francesa(1789) eram debati das nas sociedades secretas, nos púlpitos das igrejas e entre os alunos no recém-instalado Seminário de Olinda (ONDE AS ÍDEIAS REVOLUCIONÁRIAS BROTAVAM ).



Uma vez que, o grande acervo literário e cultural e os mais destacados professores, os futuros dirigentes da Revolução encontravam-se no Seminário de Olinda :

-Padre José Ignácio Ribeiro de Abreu e Lima(PadreRoma),

-Padre João Ribeiro Pessoa de Melo Montenegro, e

-Padre Miguel Joaquim de Almeida Castro(Padre Miguelinho).

Ensinando Teologia, Filosofia, Geometria, Geografia, Grego, Francez e Belas Artes.



E ao mesmo tempo,

As sociedades secretas (Maçonarias) continuavam sua revolução doutrinária, “a fim de tornar conhecido o estado geral da Europa, os estremecimentos e destroços dos governos absolutos, sob os influxos das idéias democráticas.” Tornando-se verdadeiro celeiro de liberais.

Paralelamente os lentes e seminaristas do Seminário de Olinda se encarregavam de difundir as idéias de Jean Jacques Rousseau e Montesquieu, juntamente com preceitos da Constituição dos Estados Unidos da América e da Declaração Francesa dos Direitos do Homem e do Cidadão de 1789, provocando assim uma verdadeira mudança cultural.

Em 1801, foi descoberta e sustada a misteriosa conspiração dos Suassunas, que tinha por fim, transformar Pernambuco em uma República, sobre a proteção de Napoleão Bonaparte, com a prisão dos irmãos Francisco de Paula Cavalcanti de Albuquerque, Luis e José,

Estas reuniões realizadas em lojas maçônicas- em suas residências, na cidade de Itambé vamos encontrar Dr.Manoel de Arruda Câmara, em Jaboatão no Engenho dos Suassuna - temos o Sr. Francisco de Paula Cavalcanti de Albuquerque (que em 1835 foi Governador em Pernambuco) e a terceira loja maçônica ficava no Pátio do Paraíso, na Atual Av. Dantas Barreto, defronte do prédio INSS.

Nestas reuniões os assuntos eram estritamente nacionalistas, contra o Governo de D. João VI. Nos púlpitos das Igrejas, espalhadas por toda a província, as novas idéias eram propagadas pelos padres recém saídos do Seminário de Olinda, alguns com estudos na Europa, criando um clima, por demais favorável, à revolta; que a tradição popular veio a denominar ... a Revolução de Padres. Esse longo processo de mais de 16 anos,veio eclodir em 1817 encabeçada pelo padre João Ribeiro Pessoa de Melo Montenegro, Domingos José Martins e Antonio Gonçalves da Cruz, além de alguns soldados do regimento de primeira linha.

Imediatamente, foram convocados os Oficiais Generais Portugueses, que se encontravam no Recife e, determinada a prisão dos civis e militares envolvidos, entre eles os Capitães de Artilharia Domingos Teotônio Jorge Martins Pessoa, José de Barros Lima(Leão Coroado), Pedro da Silva Pedroso e José Mariano de Albuquerque.

A prisão dos implicados dar-se-ia no dia seguinte, 06 de Março de 1817, tendo se destacado o Marechal José Roberto Pereira da Silva para efetuar a prisão dos civis.

O Brigadeiro Manuel Barbosa de Castro, chefe da Artilharia “português, orgulhoso, altivo, violento, e severo”. Reuniu a tropa e resolveu desacatar os oficiais suspeitos, acusando-os de agitadores.

Domingos Teotônio Jorge o repeliu, tendo o Brigadeiro imediatamente ordenado ao Capitão Antonio José Vitorino que efetuasse a sua prisão na Fortaleza de Cinco Pontas.

De maneira diferente procedeu o Capitão José de Barros Lima, conhecido pela alcunha de “Leão Coroado”, que ao ser intimado da voz de prisão, desembainhou a sua espada e deferiu-a contra o Brigadeiro português, matando-o . Dando assim, início a revolta.



Foi então no dia 06 DE Março, deflagrado o início da “Revolução de 1817”.

(Conhecida como a única revolução brasileira pelo “sentido de liberdade, não por motivos financeiros como todas as demais- a prova disso, foi que a mesma importância em dinheiro encontrada nos cofres, nunca foi tocado. foram devolvidos os mesmos 600.000$000 réis, na rendição). Mostrando a honestidade e seriedade e caráter dos Governantes da Revolução de 1817).

“O então Governador- Caetano Pinto de Miranda Montenegro refugiou-se com seus familiares, no Forte do Brum”.

Foi assinado um ultimato por Domingos Teotônio Jorge, Padre João Ribeiro e Domingos José Martins, este documento foi levado ao governador pelo advogado José Luiz de Mendonça, exigindo a sua rendição, que foi de pronto aceita pelos oficiais portugueses e o governador. Providenciados de imediato o transporte de todos para o Rio de Janeiro.

Às 12hs do dia 07 de Março de 1817, foi constituído o “Primeiro Governo Republicano do Brasil” em Pernambuco, para cuidar da Causa da Pátria.

Foram nomeados 5 Patriotas:

da parte do Eclesiástico ,João Ribeiro Pessoa de Melo Montenegro,

da parte Militar, Capitão Domingos Teotônio Jorge Martins Pessoa,

da parte da Magistratura, José Luiz de Mendonça,

da parte de Agricultura Coronel Manuel Correia de Araújo

e, da parte do Comércio, Domingos José Martins.



Estava, pois, consolidado o movimento que Manuel de Oliveira Lima, veio denominar de a “única Revolução Brasileira” digna desse nome”

De imediato,

- Foi instaurada, a Lei Orgânica de Pernambuco de 1817, um estatuto onde constavam todos os projetos e normas de governar, numa Legislatura em 28 itens.

- Foi oficializada a criação da atual Bandeira de Pernambuco,
e Benta pelo Deão Bernardo Luiz Ferreira Portugal em 02 de Abril de 1817, na igreja do Pátio de São Pedro.

Nas comemorações, o carmelita, Frei Joaquim do Amor Divino Caneca, que mais tarde veio a ser Mártir da Confederação do Equador, fez a distribuição de versos patrióticos, denominados “Canção Pernambucana”

Dos quais, apenas, três estrofes chegaram aos nossos dias;



Cidadãos pernambucanos

Sigamos de Marte a lida;

È triste acabar no ócio,

Morrer pela Pátria é vida.



Quando a voz da Pátria chama

Tudo deve obedecer;

Por ela a morte é suave,

Por ela cumpre a morrer.



O patriota não morre

Vive além da eternidade

Sua glória, seu renome

São troféus da humanidade.





MORRERAM  PELA  PÁTRIA  ! 

A Casa da Cultura de Pernambuco, por coincidência ou não,  fica localizada junto à– antiga Ponte Velha , atual  

                          “Ponte 06 de Março”   

 

Mais informações e Literaturas  sobre essa data tão importante para nosso Estado  e  todo um  manancial  sobre a rica  História de Pernambuco, Pernambucanos Célebres,  Autores Contemporâneos,

Literatura de Cordel, enfim ...  “tudo sobre a História de Pernambuco”,  pode  ser encontrado  Casa da Cultura, em  autores como :

Gilberto Freire,

José Antonio Gonsalves de Mello,

Evaldo Cabral de Mello,

Leonardo Dantas Silva

PadreJoaquimDiasMartinsautordo livro-Os mártires Pernambucanos

Mário Souto Maior,

Frederico Pernambucano de Mello,

Carlos Bezerra Cavalcanti,

Marcos Cordeiro,

Oliveira Lima,

Frans Leonard Schalkwijk

Silvia Tigre,

Rostand Paraíso,

o Cordelista  José Costa Leite,

Os Xilogravuristas J.Borges,

Manassés Borges e Severino Borges e tantos....  tantos outros como vocês poderão encontrar. 

Porque nosso Estado foi pioneiro em muitos  acontecimentos históricos!

A História de um povo é contada por suas Personalidades, seus Feitos, seu Desenvolvimento, sua Música, seu Folclore,  suas Crenças, Seus Costumes, sua Gastronomia e suas Datas Festivas e nosso Pernambuco é muito rico, comemoramos na Casa da Cultura:

Folia de Reis, Carnaval, Semana Santa, São João, Agosto Mes do Folclore, Semana do Frevo, Mes da Seresta, Maracatús, Cirandas Capoeiras, etc...

E, a Casa da Cultura faz um Convite  aos   professores,  estudantes,  pessoas que visitam o Recife e pessoas interessadas em conhecer  melhor  a nossa  “História  e Literatura”.venham pra Casa da Cultura, aqui tem um pouco de tudo isso....Porque....

Nosso Estado foi pioneiro em muitos Acontecimentos Históricos!


<<< Voltar

Untitled Document
Desenvolvido por: W2U - Web e Tecnologia
Rua Floriano Peixoto, s/nº - Santo Antonio - Recife - PE | Fones: +55 81 3224.0557 | 3224.4017 | 3224.9963 | 8813.3390